Descanso: é mesmo necessário? E qual a real influência no seu treino?

Com certeza a prática de exercícios físicos é indispensável em nossa vida e quando praticada diariamente torna-se ainda melhor! Porém, muitos praticantes passam mais de uma hora na academia treinando em alta intensidade todos os dias por acreditarem que quanto mais exercícios fizerem, maiores e mais rápidos resultados terão. 

Bom, mas será que nosso organismo funciona desta forma? Preciso te dizer que não! E agora vou te mostrar o por que…

Existem três fatores principais que influenciam na conquista dos objetivos e são eles: treino prescrito de forma inteligente e em alta intensidade, alimentação nutritiva e adequada e o descanso. Sendo este último, na maioria das vezes o mais negligenciado. 

O ganho de massa magra ou de força acontece no momento em que nosso corpo descansa e se recupera do esforço físico e, por isso, o descanso é fundamental na musculação. Isso ocorre porque quando realizamos exercícios intensos (com sobrecarga e maior tempo de tensão dos músculos), estes estímulos levam os músculos à exaustão e consequentemente rompem as fibras musculares. Isso gera uma inflamação muscular e depois disso a regeneração muscular precisa ser feita. Isso ocorre por conta do aumento dos sarcômeros, isto é, o tamanho da grossura da sua fibra muscular. Ou seja, é enquanto dormimos que o aumento do músculo (que é o ganho de massa magra) acontece. Por isso, é importante que os treinos sejam readaptados periodicamente, de acordo com a sua evolução, para assim manter os músculos em constante sobrecarga, já que com o tempo, eles se acostumam com estímulos repetidos e perdem a eficácia.

Caso não haja um descanso adequado, seus treinos podem ser prejudicados! Pois você pode se sentir muito cansado ou ter um rendimento muito menor do que teria normalmente. É por isso também, que realizar o mesmo treino todos os dias, sem dar descanso para aquele determinado grupo muscular pode trazer diversos prejuízos à saúde do praticante. Sendo o primeiro a aparecer é a queda no rendimento, como o músculo não teve tempo para se recuperar, ele não possui a energia e a força necessária para suportar um novo estímulo.

Com isso, fortes dores passarão a ser constantes, além de não desenvolver a musculatura como o esperado, inflamações crônicas passarão a produzir e liberar diversos hormônios de estresse. Ou seja, além do prejuízo físico, problemas relacionados à saúde do corpo e também da mente poderão desenvolver-se. Em casos mais drásticos, pode ocorrer, inclusive, alguma lesão. 

O tempo de repouso irá depender, porque há diferentes tipos de treino – de força, de resistência, de hipertrofia (ganho de massa magra, visando o crescimento muscular), etc. E cada um deles requer um tipo de repouso. Os treinos de hipertrofia, por exemplo, geralmente precisam até mais do que 48 horas se forem muito intensos. 

Para quem pratica musculação diariamente, por exemplo, uma boa estratégia para conciliar qualidade dos treinos com o tempo adequado de descanso é alternar os grupos musculares – não só perna com braço, mas também o tipo de treino que é realizado. É possível dividir em três ou quatro tipos de treino, dependendo do grau de treinamento. Se iniciante, então é possível fazer um dia perna, no outro braço e no outro faz descanso só com aeróbico. Conforme for evoluindo os treinos podem ser divididos em mais vezes, porque precisará de uma recuperação maior para o grupo muscular que mais foi recrutado. Para isto, conte com um profissional de educação física irá melhor orientá-lo!

Ter boas noites de sono é fundamental para o reparo muscular e consequentemente para a hipertrofia, por exemplo. Durante a noite, enquanto dormimos, nosso corpo produz o GH, um hormônio de crescimento que é produzido em menores quantidades na fase adulta, mas que tem um papel significativo. Esse hormônio é responsável por otimizar a regeneração muscular e é liberado apenas durante o sono. Por isso, aquele ditado que diz que “dormir faz parte do treino”.

Sendo assim, dentre os principais benefícios do descanso estão a recuperação muscular e o ganho muscular de massa magra. E não respeitar este tempo necessário irá produzir o efeito contrário do desejado e, ao invés de ganhar músculos cada vez mais fortes e bem definidos, você deixará seu corpo cada vez mais fraco e doente. Por isso, siga as orientações dos profissionais de educação física da sua academia e não pule ou ignore os treinos simplesmente porque você não gosta de trabalhar um ou outro grupo muscular. Quanto ao período certo de descanso, cada organismo reage de uma forma diferente aos estímulos. Por isso mais uma vez, é importante contar com o auxílio do um educador físico que poderá melhor instruí-lo. 

Posts Recentes

Siga-nos

Matriz
Blumenau
Curitiba
Atendimento através de agendamento
Criação de sites por Vale da Web