Mobilidade articular: o que é e qual a importância?

A mobilidade articular nada mais é do que a habilidade do sistema neuromuscular de executar os movimentos de uma ou mais articulações em grandes amplitudes de maneira eficiente. Para isso, é preciso que o indivíduo tenha uma boa flexibilidade dos tecidos moles e mobilidade articular normal.

A importância da mobilidade está no fato de que ela é necessária para que possamos executar movimentos totalmente funcionais, como: agachamento (sentar e levantar), levantamento terra (tirar algo do solo), apoio (se empurrar), puxada na barra (se puxar)… Isso significa que ela possibilita que as ações sejam realizadas sem dores, lesões ou desequilíbrios.

Algumas causas da falta de mobilidade podem ser:

  • o sedentarismo, pois cada vez mais as pessoas passam a maior parte do tempo sentadas;
  • o envelhecimento e as alterações que ele causa, que levam a rigidez articular, limitando ainda mais o indivíduo no que se refere a levar uma vida saudável e livre de dores;

A importância da mobilidade articular também reside nos inúmeros benefícios que ela proporciona, tais como:

  • correção de desequilíbrios musculares;
  • diminuição da tensão excessiva dos músculos e manutenção de seu comprimento funcional “normal”;
  • alívio do estresse nas articulações;
  • melhora na eficiência neuromuscular e, consequentemente, na função motora;

Cada articulação tem suas necessidades de treinamento particulares. Isso significa que para algumas delas a importância da mobilidade é maior, enquanto outras requerem estabilidade.

A mobilidade articular do praticante influencia diretamente em seu treino, principalmente quando realizados exercícios funcionais. Pois, quanto maior a mobilidade, maior será a amplitude de movimento e maior número de fibras musculares serão recrutadas, tornando mais efetivo o exercício realizado. Estes, por sua vez, são extremamente úteis para que se tenha uma vida mais ativa, saudável e, o mais importante, livre de dores.

Posts Recentes

Siga-nos