Musculação e HIIT – Como integrá-los nos treinos de seus alunos

A combinação de musculação e HIIT é muito utilizada, quando objetiva-se potencializar o gasto calórico ou até melhorar o condicionamento dos seus alunos. O método HIIT – “High Intensity Interval Training“, ou seja, treino intervalado de alta intensidade, é caracterizado como o treinamento em que o indivíduo atinge picos de alta intensidade intercalados com períodos de descanso que podem ser ativos (ou seja, a pessoa continua se movendo, mas em uma intensidade menor) ou passivos, em que a pessoa para completamente. O método HIIT tem como objetivo potencializar os efeitos metabólicos dos treinos, sendo altamente benéfico para o processo de emagrecimento e diminuição da gordura corporal.

Para você combinar o HIIT com a musculação no mesmo treino dos seus alunos, é fundamental adaptar o volume, a intensidade e a carga total de trabalho. Por exemplo, se você prescrever um treino de musculação altamente volumoso, com intensidade alta e carga total elevada, dificultará a execução de um protocole de HIIT adequado em alta intensidade. Isto não quer dizer que o treino de musculação deva ser “leve”, mas o estímulo do HIIT deve ser levado em conta e considerado na carga total do treino.

Se prescrever o HIIT no final do treino de musculação, ainda mais ao final do treino de membros inferiores, precisa levar em conta que os músculos do seu aluno estarão fadigados e a coordenação e controle motor, prejudicados. Sendo assim, é recomendado optar por uma atividade que não comprometa a eficiência mecânica do HIIT. Na maioria dos casos, o mais indicado é utilizar a bike ou o elíptico para, por não exigirem de tanto controle motor. Porém, isso não é uma regra. 

Um aluno iniciante, no geral, tem um perfil de falta de condicionamento e controle motor. Por isso, mesmo que o foco seja o emagrecimento, não há muitas razões para usar na mesma sessão, HIIT e musculação. Na verdade, salvo raros casos, o iniciante deve construir uma base de condicionamento, com aeróbico contínuo e treino de força, para então, usar o HIIT.

Quanto a quando o HIIT deve ser executado, vai da individualidade de cada aluno. Neste sentido, se você prescrevê-lo na esteira, por exemplo, e antes do treino de musculação para membros inferiores de força, seu aluno não conseguirá um bom rendimento no treino. Naturalmente, seus músculos estarão fadigados e os mecanismos de controle muscular, depletados. Por isso, salvo alguns casos bem específicos, o recomendado é fazer o HIIT depois da musculação.

No geral, utiliza-se o HIIT junto com a musculação para aumentar o gasto calórico total. Ou seja, essa é uma estratégia de emagrecimento e diminuição da gordura corporal. Por isso, é preciso potencializar os efeitos de cada um dos treinos, visando aumentar o gasto calórico. Fazer essa combinação nos treinos é algo que pode aumentar significativamente os resultados dos seus alunos, mas que precisa ser feito com os cuidados necessários. Caso contrário, eles podem acabar se lesionando ou então, não tendo a eficiência que desejam.

Matriz
Blumenau
Curitiba
Atendimento através de agendamento
Criação de sites por Vale da Web